BOLSONARO COVARDE Cuidado com o bombeiro

Cuidado com o bombeiro

  • Diogo Mainardi
    Diogo Mainardi

Cuidado com o bombeiro
Foto: Marcos Corrêa/PR

Com o Palácio do Planalto em chamas, Jair Bolsonaro chamou o bombeiro, e ele sabe, melhor do que ninguém, que botar o bombeiro dentro de casa é sempre um perigo.

O bombeiro, no caso, é Michel Temer, que fez o que sabe fazer: conchavo. O trato é simples: Jair Bolsonaro enfia o rabo entre as pernas e Alexandre de Moraes promete suspender, ao menos por enquanto, a prisão de Carlos Bolsonaro.

A derrota do sociopata foi completa, mas ele continuou mentindo até o fim. No Facebook, ele disse que foi o autor da nota publicada ontem à tarde:

“Alguns do meu lado aqui vieram com o discurso pronto: ‘Tem que reagir, tem que bater’. Calma, amanhã a gente fala, deixa acalmar um pouquinho. Comecei a preparar uma nota… Telefonei ontem à noite para o Michel Temer, ele veio a Brasília, por dois momentos conversou comigo aqui, pouco mais de uma hora. Ele colaborou com algumas coisas na nota, eu concordei e publiquei”.

Na verdade, Michel Temer chegou com a nota pronta, como ele mesmo disse para O Globo, desmentindo a versão do sociopata, a quem coube dar apenas dois pitacos:

“Almocei com ele e levei um documento mais ou menos pronto, uma declaração. Ele fez duas observações e disse que estava de acordo.”

Não foi uma nota, portanto, e sim uma rendição incondicional.

A imprensa repete que Jair Bolsonaro não vai cumprir os termos do tratado. Conhecendo os protagonistas desse episódio vexaminoso, eu diria o contrário: é o bombeiro que vai passar a perna no imbecil.

você pode gostar também