Bolsonaro diz que alta de 39% no preço do gás natural é inadmissível

Bolsonaro diz que alta de 39% no preço do gás natural é inadmissível

Reajuste é feito pela Petrobras a cada três meses. Novos valores do produto repassado às refinarias começarão a valer em 1º de maio

atualizado 07/04/2021 16:27

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), durante anúncio de investimentos para o Programa Águas BrasileirasReprodução/ TV Brasil
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) classificou, nesta quarta-feira (7/4), como “inadmissível” o reajuste anunciado pela Petrobras de 39% no preço de venda de gás natural para as distribuidoras.

A declaração foi feita durante cerimônia de posse do novo diretor-geral da Itaipu Binacional. Agora ex-titular da empresa, o general Joaquim Silva e Luna vai presidir a Petrobras.

“É inadmissível se anunciar agora, o velho presidente ainda [Roberto Castello Branco], um reajuste de 39% no gás. É inadmissível. Que contratos são esses? Que acordos foram esses? Foram feitos pensando no Brasil? Num período de três meses?”, perguntou.

O presidente apressou-se em dizer que não iria interferir no assunto. “Não vou interferir. A imprensa vai dizer o contrário, mas podemos mudar essa política de preços lá”, declarou Bolsonaro.

conteudo patrocinado

De acordo com o anúncio da estatal, o reajuste de 39% entrará em vigência a partir de 1º de maio. O gás natural é usado em residências para aquecimento de chuveiros e acendimento de fogões, por exemplo.

você pode gostar também