Bonitinha, mas ordinária”, deputada federal petista deve ser cassada por abuso de poder econômico

Bonitinha, mas ordinária”, deputada federal petista deve ser cassada por abuso de poder econômico

Uma deputada federal do PT está na mira da Justiça Eleitoral por abuso do poder econômico.

Trata-se de Camila Jara Marzochi, uma jovem parlamentar de 29 anos, atual pré-candidata do partido a prefeita de Campo Grande, a capital de Mato Grosso do Sul.

A deputada teria feito propaganda eleitoral paga na internet depois do prazo permitido pela lei e gastos irregulares para impulsionar suas publicações nas redes sociais Facebook e Instagram.

Segundo informações, as provas juntadas contra a petista são incriminadoras e demonstram a utilização indevida dos meios de comunicação e abuso do poder econômico para obter vantagem sobre os demais concorrentes.

O relator do processo é o vice-presidente do TRE-MS, desembargador Carlos Eduardo Contar, oriundo do MP e considerado “duro” nesse tipo de análise.

O caso deve ser levado a julgamento já em março.

De acordo com relatórios processuais, a deputada divulgou 36 anúncios de propaganda eleitoral paga na internet em 1º de outubro de 2022.

Na véspera do primeiro turno, os anúncios tinham potencial para atingir 2 milhões de pessoas, sendo 1,9 milhão no Estado de Mato Grosso do Sul. Esse impulsionamento ocorreu enquanto outros candidatos já haviam encerrado suas propagandas pagas na internet, em conformidade com a legislação eleitoral.

O impulsionamento de propaganda eleitoral paga nas redes sociais da deputada continuou até o dia 02.10.2022, data do primeiro turno das eleições, configurando um possível crime eleitoral, diz o relatório processual do TRE.

Uma eventual condenação da deputada pode resultar na cassação de seu mandato e na sua inelegibilidade por oito anos.

Comentários
você pode gostar também