CARLESSE PAGA 91 MILHÕES EM CÓPIAS E NO HOSPITAL DONA REGINA NÃO TEM PAPEL:01/2020 Gestante aguarda mais de seis horas para ser atendida por falta de papel

01/2020 Gestante aguarda mais de seis horas para ser atendida por falta de papel no Dona Regina
https://www.jornaldotocantins.com.br/editorias/vida-urbana/gestante-aguarda-mais-de-seis-horas-para-ser-atendida-por-falta-de-papel-no-dona-regina… 1/2
Gestante aguarda mais de seis horas para ser
atendida por falta de papel no Dona Regina
Diretoria da maternidade diz que material já foi providenciado e que caso foi “específico e pontual”
14/01/2020 – 18:55
Gestantes que estiveram no Hospital e Maternidade Dona Regina precisaram aguardar horas para
fazerem exames nesta terça-feira, 14. Funcionários da unidade de saúde informaram às pacientes
sobre falta de papel e solicitaram que as grávidas esperassem a chegada do material para a
realização do atendimento.
A nora de Ivone da Cruz Penha de Souza, 43 anos, que não quis se identificar, está no último mês de
gestação e chegou ao hospital por volta de 11 horas desta terça-feira. “A gravidez já passou das 40
semanas e o médico falou que ela tinha que ir lá a cada três dias para fazer os exames necessários
para saber os batimentos cardíacos do bebê, os centímetros da dilatação e as contrações”, contou.
A funcionária pública relatou que a nora foi para casa próximo das 17 horas, cerca de seis horas
depois de chegar ao local, sem atendimento.
“Já estava passando da hora dela se alimentar e não foi atendida porque não tem papel na
impressora e ela tinha que aguardar mandarem o papel para fazer o atendimento. É complicado,
ficamos a mercê de tudo isso. E se ela estivesse em trabalho de parto, teria que voltar para casa e
esperar ou ficar lá até chegar o papel?”, questiona.
Segundo Andréa Nardini, assessora da Diretoria Geral
do Hospital e Maternidade Dona Regina, nenhuma
paciente foi dispensada de atendimento na tarde desta
terça-feira. (Foto: Djavan Barbosa)
14/01/2020 Gestante aguarda mais de seis horas para ser atendida por falta de papel no Dona Regina
https://www.jornaldotocantins.com.br/editorias/vida-urbana/gestante-aguarda-mais-de-seis-horas-para-ser-atendida-por-falta-de-papel-no-dona-regina… 2/2
Outra gestante que também não quis se identificar, de 27 anos, veio à maternidade nesta manhã
realizar o CTG, um procedimento que examina o coração do bebê. Com perda de líquido, a grávida
chegou ao local por volta das 12h50 e até as 17 horas ainda não havia sido atendida. Segundo ela, os
funcionários não falaram sobre previsão de atendimento e apenas solicitaram que esperassem.
“Uma grávida que também esperava junto comigo estava tendo contrações e perda de líquido. A
moça falou que eu poderia ir para casa se quisesse, e teria que pegar o papel do pedido, passar pela
médica para ela me liberar e eu ir para casa. Teria que marcar o exame para outro dia nesse caso,
mas para quem mora longe é complicado”, afirmou.
O outro lado
Segundo Andréa Nardini, assessora da Diretoria Geral do Hospital e Maternidade Dona Regina,
nenhuma paciente foi dispensada de atendimento na tarde desta terça-feira.
“O material realmente faltou, não tinha no estoque regulador, mas o hospital já providenciou a
compra e está chegando. Providenciamos por aqui o papel suficiente para atender toda demanda,
isso acontece em casos eventuais”, explicou.
A assessora relatou que a acompanhante de uma paciente chegou a entrar em contato com a
diretoria para falar sobre a situação. “Pedimos que elas tivessem um pouco de paciência e tolerância
enquanto o material chega. Uma acompanhante esteve aqui e eu conversei com ela, expliquei a
situação e ela compreendeu”, afirmou.
De acordo com Andréa, a falta de papel é específica para o exame Cardiotocografia (CTG) e os
demais atendimentos do hospital seguiram normalmente e sem comprometimentos no decorrer desta
terça-feira. “Esse foi um caso específico e pontual”, finaliza

Gestante aguarda mais de seis horas para ser
atendida por falta de papel no Dona Regina
Diretoria da maternidade diz que material já foi providenciado e que caso foi “específico e pontual”
14/01/2020 – 18:55
Gestantes que estiveram no Hospital e Maternidade Dona Regina precisaram aguardar horas para
fazerem exames nesta terça-feira, 14. Funcionários da unidade de saúde informaram às pacientes
sobre falta de papel e solicitaram que as grávidas esperassem a chegada do material para a
realização do atendimento.
A nora de Ivone da Cruz Penha de Souza, 43 anos, que não quis se identificar, está no último mês de
gestação e chegou ao hospital por volta de 11 horas desta terça-feira. “A gravidez já passou das 40
semanas e o médico falou que ela tinha que ir lá a cada três dias para fazer os exames necessários
para saber os batimentos cardíacos do bebê, os centímetros da dilatação e as contrações”, contou.
A funcionária pública relatou que a nora foi para casa próximo das 17 horas, cerca de seis horas
depois de chegar ao local, sem atendimento.
“Já estava passando da hora dela se alimentar e não foi atendida porque não tem papel na
impressora e ela tinha que aguardar mandarem o papel para fazer o atendimento. É complicado,
ficamos a mercê de tudo isso. E se ela estivesse em trabalho de parto, teria que voltar para casa e
esperar ou ficar lá até chegar o papel?”, questiona.
Segundo Andréa Nardini, assessora da Diretoria Geral
do Hospital e Maternidade Dona Regina, nenhuma
paciente foi dispensada de atendimento na tarde desta
terça-feira. (Foto: Djavan Barbosa)
14/01/2020 Gestante aguarda mais de seis horas para ser atendida por falta de papel no Dona Regina
https://www.jornaldotocantins.com.br/editorias/vida-urbana/gestante-aguarda-mais-de-seis-horas-para-ser-atendida-por-falta-de-papel-no-dona-regina… 2/2
Outra gestante que também não quis se identificar, de 27 anos, veio à maternidade nesta manhã
realizar o CTG, um procedimento que examina o coração do bebê. Com perda de líquido, a grávida
chegou ao local por volta das 12h50 e até as 17 horas ainda não havia sido atendida. Segundo ela, os
funcionários não falaram sobre previsão de atendimento e apenas solicitaram que esperassem.
“Uma grávida que também esperava junto comigo estava tendo contrações e perda de líquido. A
moça falou que eu poderia ir para casa se quisesse, e teria que pegar o papel do pedido, passar pela
médica para ela me liberar e eu ir para casa. Teria que marcar o exame para outro dia nesse caso,
mas para quem mora longe é complicado”, afirmou.
O outro lado
Segundo Andréa Nardini, assessora da Diretoria Geral do Hospital e Maternidade Dona Regina,
nenhuma paciente foi dispensada de atendimento na tarde desta terça-feira.
“O material realmente faltou, não tinha no estoque regulador, mas o hospital já providenciou a
compra e está chegando. Providenciamos por aqui o papel suficiente para atender toda demanda,
isso acontece em casos eventuais”, explicou.
A assessora relatou que a acompanhante de uma paciente chegou a entrar em contato com a
diretoria para falar sobre a situação. “Pedimos que elas tivessem um pouco de paciência e tolerância
enquanto o material chega. Uma acompanhante esteve aqui e eu conversei com ela, expliquei a
situação e ela compreendeu”, afirmou.
De acordo com Andréa, a falta de papel é específica para o exame Cardiotocografia (CTG) e os
demais atendimentos do hospital seguiram normalmente e sem comprometimentos no decorrer desta
terça-feira. “Esse foi um caso específico e pontual”, finaliza

você pode gostar também