Com menções a Lula, Bolsonaro e Marielle, deputados tomam posse em SP

POLÍTICA


Com menções a Lula, Bolsonaro e Marielle, deputados tomam posse em SP

Alesp

15.mar.2019 – Deputados eleitos para a 19ª legislatura tomam posse na AlespImagem: Alesp

Bernardo Barbosa

Do UOL, em São Paulo

15/03/2019 16h35

Os 94 deputados estaduais paulistas tomaram posse hoje na sede da Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo) fazendo alusões ao presidente Jair Bolsonaro (PSL), à liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e à execução de Marielle Franco (PSOL).

A sessão começou solene, com um minuto de silêncio em homenagem às vítimas do massacre em Suzano (SP). Mas, à medida que os deputados eram convocados para o protocolar juramento ao cargo, no qual era necessário apenas falar “assim o prometo”, as falas foram ganhando cores políticas –como aconteceu em várias outras cerimônias de posse neste ano.

Quem abriu o precedente foi Douglas Vieira (PSL), deputado em primeiro mandato e do mesmo partido de Bolsonaro, que citou o slogan da campanha presidencial –“Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”– no seu juramento.

Outros deputados do PSL, como Tenente Coimbra, Leticia Aguiar e Valéria Bolsonaro, também mencionaram o slogan ou elogiaram nominalmente o presidente.

O partido, que não tinha deputados na legislatura passada, agora tem a maior bancada da Casa, com 15 assentos –grande parte graças à recordista de votos Janaína Paschoal (PSL), que disputará a Presidência da Alesp.

Do outro lado do espectro político, a bancada petista, formada por oito deputados, foi unânime nos pedidos de “Lula livre”. Mas também houve menções à educação e aos direitos trabalhistas por nomes como Professora Bebel e Teonílio Barba.

Falas contra a liberação de armas, uma das principais bandeiras do governo Bolsonaro, vieram de Emídio de Souza e Paulo Fiorilo.

Pelo PSOL, as deputadas Isa Penna e Mônica Seixas perguntaram quem mandou matar a vereadora carioca Marielle Franco, há um ano. Os suspeitos do assassinato foram presos na terça, mas ainda não se sabe quem são os mandantes do crime.

Também integra a bancada psolista a deputada Érika Malunguinho, a primeira transgênero eleita para o cargo. Ela tomou posse pedindo liberdade.

Ainda hoje, a Alesp escolhe seu presidente para os próximos dois anos. O atual ocupante do cargo, Cauê Macris (PSDB), deve se eleger novamente.

Ao longo do mandato de quatro anos, cada deputado estadual receberá um salário de R$ 25,3 mil mensais. Eles também têm direito a R$ 33,2 mil de verba de gabinete e R$ 160,4 mil para contratar assessores.

você pode gostar também