Como será a educação pós pandemia?

Como será a educação pós pandemia?

Quais são as inovações e as propostas para o “novo normal” na educação?

Como será a educação pós pandemia?

 Quais são as inovações e as propostas para o “novo normal” na educação?

 

Diante do atual momento, as soluções de ensino a distância têm contribuído para redução dos efeitos negativos do distanciamento social em virtude da Covid -19. As escolas precisaram se adaptar ao novo formato de ensino, e os profissionais da educação também se reinventaram.

Em outros contextos históricos a educação era muito mais precária no que diz respeito a fatores como profissional em sua formação, material didático, inovações tecnológicas e infraestrutura. Os dados avaliativos como SAEB, SPAECE, ENEM, mostra que apesar dos investimentos governamentais não condiz com os dados de aprendizado.

Para o Dr. Caitano Neto CEO da Saphir Educ deixa evidente sobre quais são os novos parâmetros para a educação: “A educação neste momento possibilita um novo olhar para novos recursos buscando sempre a qualidade no ensino, com as novas ferramentas digitais e a diversificação de recursos, o que não era possível tempos atrás. Essa tendência do nosso novo normal é algo que ainda vai permanecer mais de uma forma benéfica para os estudantes. Acredito que hoje e pós pandemia, a tendência é que as aulas tradicionais vão dar espaço para o sistema de ensino híbrido que mescla ensino virtual com presenciais possibilitando que os alunos possam continuar estudando em casa de forma personalizada e reaproveitando o tempo.

Os profissionais da área adotaram soluções digitais que simula o que acontece em uma sala de aula presencialmente, e é admirável ver os esforços dos profissionais, dos estudantes e até mesmo da própria família que se tornaram profissionais. A capacitação prévia do corpo docente é fundamental neste panorama. O cenário mostrou um planejamento das atividades e novas formas de avaliação, mais é visível que o EAD (ensino a distância) não é tão eficaz quando o planejamento não vem antes da tecnologia.

Quando se trata de problemas na sociedade isso afeta a educação de forma direta ou indireta, metade dos estudantes do mundo um número equivalente a 850 milhões estão sem aulas, desafio que impõem uma nova perspectiva para os países a proporcionarem educação a todos sem interrupções. É um risco muito grande, pois esse método favorece a desigualdade social perante parte da população em diferença da escola pública para escola particulares e nível de escolaridade dos pais e responsáveis. Com a volta ainda incerta para um retorno gradual das aulas presenciais, a tecnologia e os recursos vão se manter presente, mas será responsabilidade dos educadores observarem de perto a necessidade de cada aluno e os recursos disponíveis em cada casa”.

Nos dias de hoje a chamada geração Z, vivem em um universo alienados pelas tecnologias, não consegue viver perante a sociedade sem alguma ferramenta tecnológica, algo naturalizado no seu tempo. A tecnologia acelera muitos processos e a velocidade da sua evolução pode deixar muita gente perdida, O ensino tradicional tem oferecido resistência a essas mudanças, pois ao invés de buscar novas soluções para se atualizar as demandas atuais da sociedade na qual vivemos, a metodologia tradicional parece andar na contramão a chamada era tecnológica.

 

Laise Alves
Jornalista

você pode gostar também