Cristão perseguido tem pena de morte anulada no Irã após orar

Cristão perseguido tem pena de morte anulada no Irã após orar

Testemunho de Taher foi contado pela organização Portas Abertas

Mayara Macedo –

Taher e sua família Foto: Portas Abertas

A organização Portas Abertas contou a história de um cristão chamado Taher, que teve sua sentença de morte anulada após clamar a Deus. Taher é do Irã, país majoritariamente islâmico, e acabou sendo preso por seguir Jesus.

– Deixar o islamismo para seguir Jesus no Irã é se tornar inimigo do governo e ser considerado uma ameaça à segurança nacional. Por isso, enquanto as pessoas estão vivendo no território, elas serão monitoradas e, se insistirem em congregar com outros cristãos e compartilhar a Palavra, ficarão presas – disse a organização.

Taher teve sua casa invadida e, enquanto esteve detido, foi interrogado e intimado a entregar o nome de outras pessoas que seguiam Jesus. Contudo, o homem se manteve firme e não “entregou” nenhum irmão em Cristo.

– Quando eu cheguei em casa, vi quatro homens (da polícia secreta). Eles me algemaram. Bem ali, naquele momento, eu senti Jesus ao meu lado – relata o iraniano.

Taher foi julgado em tribunal e acusado de apostasia, ou seja, de abandonar a fé islâmica. A sentença que recebeu foi a pena de morte. No entanto, Taher e sua família não perderam a fé e passaram a orar pela autoridades.

– Durante meu julgamento, o juiz pediu para eu escrever algo. E eu escrevi: Deus é amor – relatou Taher.

E então, no decorrer da análise, a resposta de oração veio. Taher contou que o juiz disse que não sabia o motivo, mas daria a ele a tão esperada liberdade.

Taher e família decidiram se mudar do Irã e partiram para outro país.

– Eu daria muito mais por Jesus. Vale muito a pena – declarou Taher.

*Taher é um nome fictício para preservar a identidade do cristão e de sua família.

você pode gostar também