Em delação, Cabral não poupa Adriana e casal entra em rota de colisão

Em delação, Cabral não poupa Adriana e casal entra em rota de colisão

Com mais 200 anos de condenação, o ex-governador Sérgio Cabral Filho finalmente descobriu que está sozinho.,

Não tem mais amigos, não tem mais companheiros, não tem mais família, não tem mais mulher.

Assim, em sua delação premiada não poupa nem a esposa Adriana Ancelmo.

Sérgio Cabral confessou ao juiz Marcelo Bretas que sua mulher tinha conhecimento sobre os seus crimes e que sabia do caixa paralelo no escritório de advocacia em que ela era sócia.

“Ela sabia que meus gastos eram incompatíveis com a minha receita formal”.

Adriana, em nota, negou.

Cabral então foi mais adiante…

O ex-governador diz que a contratação do escritório de Adriana Ancelmo pela Fecomércio, de seu aliado Orlando Diniz, teve relação com a necessidade de angariar apoio em decisões no STJ.

Extraoficialmente, afirma, Adriana teria atuado inclusive no processo em que Diniz conseguiu se manter no comando da Fecomércio graças a uma liminar de Napoleão Maia.

A delação de Cabral está espalhando terror no meio da bandidagem.

você pode gostar também