PF prende cinco policiais civis suspeitos de integrar grupo que matava presos que saíam da cadeia

Banner Pix

PF prende cinco policiais civis suspeitos de
integrar grupo que matava presos que saíam
da cadeia
Operação “Caninana” ocorreu com participação da Polícia Civil
22/06/2022 – 16:39
A Polícia Federal deflagrou na quarta-feira, 22, a operação Caninana contra uma organização
criminosa formada por policiais civis responsáveis por cinco mortes ocorridas no dia 27 de
março em Palmas.
Os investigadores chegaram a pedir a prisão temporária de dois delegados da Polícia Civil, mas a
Justiça estadual negou a medida, mas decretou a prisão preventiva de cinco agentes: Antônio
Martins Pereira Júnior, Antônio Mendes Dias, Callebe Pereira da Silva, Carlos Augusto Pereira
Alves e Giomari dos Santos Júnior.
Além das prisões preventivas, no total, a PF usou 60 policiais federais para cumprir os 10
mandados de busca e apreensão e 14 medidas cautelares diversas da prisão, incluindo a
suspensão da função pública dos investigados.
Segundo divulgou a Polícia Federal, a investigação e a ação desta quarta tiveram o apoio da
Polícia Civil, sinal de “cooperação mútua, integração e o combate ao crime organizado” no
Estado.
Os cinco assassinatos na região Sul da Capital que geraram a investigação da PF tiveram pelo
menos dois na porta de casa, no período da tarde, e mais três vítimas executadas a tiros dentro de
um carro, no Jardim Aureny I, com perfurações de calibre 12 e 38 na região do tórax. Á época,
foram identificadas como José Salviano Filho Rodrigues, de 33 anos, Swiany-Crys Moreno dos
Santos, de 37 anos, e Karita Ribeiro Viana, de 23 anos.
Policiais cumpriram 10 mandados de busca e
apreensão, 14 medidas cautelares e cinco prisões
preventivas (Foto: Jéssica Sá)

você pode gostar também