Portuenses protestam contra falta de leitos de Covid-19; Carlesse e Ronivon garantem instalação de 10 UTIs no sábado Será que é verdade?

Tocantins

Portuenses protestam contra falta de leitos de Covid-19; Carlesse e Ronivon garantem instalação de 10 UTIs no sábado

O Hospital Regional de Porto Nacional (HRPN) receberá no sábado, 10, dez unidades de terapia intensiva (UTIs) para tratamento de pacientes acometidos com a Covid-19. O anúncio foi feito pelo governador Mauro Carlesse (sem partido) ao prefeito Ronivon Maciel (PSD) em reunião realizada no Palácio Araguaia. A demora na implantação de leitos é alvo de questionamentos da população. O município soma 6.832 casos da doença nesta pandemia, sendo 130 óbitos. Mais de mil pessoas estão com o coronavírus ativo.

Leitos são reivindicados pela população

As ruas de Porto Nacional foram tomadas por protestos e uma carreta nesta terça-feira, 6. Em faixas espalhadas pela cidade, portuenses cobram os deputados e o governador pela falta de atenção ao município após mais de um ano de pandemia e sugerem que a resposta será dada em 2022, ano de eleição. Conforme dados do Integra Saúde, a cidade conta atualmente com apenas 18 leitos clínicos.

Mais 20 leitos clínicos

Na reunião com Ronivon Maciel, o governador ressaltou o trabalho da equipe para fazer frente à pandemia e atender a população tocantinense. “Nós continuamos investindo na saúde e na assistência ao nosso povo. Não estamos medindo esforços para que a nossa população seja bem atendida e consiga passar por esse momento tão difícil. Em Porto Nacional não faremos diferente”, salientou Carlesse. Além das dez UTIs, o Estado vai auxiliar a prefeitura na implantação de mais 20 leitos clínicos. “O governo é parceiro do município e inclusive nos forneceu oxigênio no momento mais adverso, e hoje estamos conseguindo avançar”, disse o prefeito.

Estrutura

A implantação dos 20 leitos clínicos no Centro de Especialidades está orçada em R$ 1,7 milhão. Conforme o próprio prefeito, o Estado “contribuiu com a maior parte da montagem”, fornecendo camas, colchões, monitores, respiradores e bombas de infusão. Já as UTIs no HRPN serão gerenciadas pela Innmed Gestão em Saúde, que foi contratada pelo Estado por R$ 5.188.120,80 para 180 dias de trabalho.

Veja vídeo da carreta:

você pode gostar também