Suspeitos de golpes contra idosos responderão por associação criminosa e estelionato, afirma polícia

Suspeitos de golpes contra idosos
responderão por associação criminosa e
estelionato, afirma polícia
Investigações tiveram início em 2021, após um dos suspeitos se passar pelo filho da vítima e o
induzir a transferir dinheiro para uma conta que seria um suposto auxílio financeiro
27/02/2024 – 22:16
Oito pessoas foram indiciadas pelos crimes de associação criminosa e estelionato mediante
fraude eletrônica contra pessoa idosa nesta segunda-feira, 26. Segundo a Secretaria da Segurança
Pública (SSP), as investigações tiveram início em julho de 2021, quando um dos integrantes se
passou por filho da vítima para aplicar o golpe.
Conforme a SSP, as investigações indicam que uma das pessoas tentou se passar pelo filho da
vítima e o induziu a transferir dinheiro para uma conta que seria um suposto auxílio financeiro. A
prática é conhecida como “Golpe do Falso Parente”.
O inquérito concluído pela Polícia Civil (PC) junto da Divisão Especializada de Repressão a
Crimes Cibernéticos (DRCC), também indiciou, alguns dos suspeitos por lavagem de dinheiro.
Suspeitos utilizavam aplicativo de mensagens e entravam em contato com a vítima fingindo ser parente (Foto:
Djavan Barbosa)
27/02/2024, 23:18 Suspeitos de golpes contra idosos responderão por associação criminosa e estelionato, afirma polícia

O delegado titular da DRCC, Lucas Brito Santana, explicou por meio de assessoria que as
investigações tiveram início após um idoso receber mensagens, de uma pessoa que se
apresentava como seu filho. Nas mensagens a pessoa pediu que ele realizasse uma transferência
para uma conta que seria de um suposto auxílio financeiro e que logo ele seria reembolsado.
Após o idoso realizar a transferência, o mesmo suspeito ainda tentou enganá-lo mais três vezes,
divulgou a SSP.
As investigações apuraram que se trata de associação criminosa de estelionatários e de lavagem
de dinheiro. A polícia afirmou que os integrantes são dos estados do Tocantins e de Goiás.
Conforme a SSP, além da vítima que deu início às investigações no Tocantins, o grupo também
aplicou golpes em outros estados.
O inquérito foi encaminhado ao Poder Judiciário, com vistas ao Ministério Público Estadual para
que os suspeitos sejam processados.

Comentários
você pode gostar também