TSE decide manter abertas ações que pedem cassação da chapa presidencial 

020 TSE decide manter abertas ações que pedem cassação da chapa presidencial

TSE decide manter abertas ações que pedem cassação da chapa presidencial
Com a decisão, será reaberta a fase de produção de provas para tentar comprovar suposto abuso de poder na campanha presidencial de
2018
Por Da Redação – Atualizado em 30 Jun 2020, 23h45 – Publicado em 30 Jun 2020, 22h50

O plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu, na noite desta terça-feira, 30, por 4 votos a 3, não arquivar duas
ações que pedem a cassação da chapa do presidente Jair Bolsonaro e do vice-presidente Hamilton Mourão. Com a decisão,
será reaberta a fase de produção de provas para tentar comprovar o suposto abuso de poder na campanha presidencial de
2018.
A Justiça eleitoral vai seguir com a investigação se a chapa vencedora das eleições presidenciais em 2018 tirou vantagem
de um ataque hacker ao grupo “Mulheres Unidas contra Bolsonaro” no Facebook, que foi responsável por lançar o
movimento #EleNão.
Depois da invasão, a página foi rebatizada como “Mulheres COM Bolsonaro #17”. Beneficiado pela mudança, o então
candidato Jair Bolsonaro publicou em suas redes sociais um “print” da comunidade virtual, acompanhado de um texto de
agradecimento.
As ações para investigar o episódio foram apresentadas pelas campanhas dos então candidatos à Presidência da República
Marina Silva (Rede) e Guilherme Boulos (PSOL).
Política
Em derrota para o governo, Senado aprova texto-base do PL das fake news
CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
O vice Hamilton Mourão e o presidente Jair Bolsonaro Valter Campanato/Agência Brasil
01/07/2020 TSE decide manter abertas ações que pedem cassação da chapa presidencial | VEJA
https://veja.abril.com.br/politica/tse-decide-manter-abertas-acoes-que-pedem-cassacao-da-chapa-presidencial/ 2/2
Atualmente, ainda existem outras seis Ações de Investigação Judicial Eleitoral abertas contra a chapa presidencial. Nos
bastidores, as duas discutidas nesta noite são consideradas mais frágeis. Contudo, a decisão tomada pelos magistrados é
vista como precedente importante para as outras quatro ações em curso.
Se a chapa Bolsonaro-Mourão for cassada ainda neste ano pelo TSE, novas eleições deverão ser convocadas. Caso o
presidente e o vice sejam cassados pelo tribunal em 2021 ou 2022, o Congresso Nacional irá escolher o novo chefe do
Planalto. Até hoje, o TSE jamais cassou um presidente da República.
Defesa
Na defesa apresentada no processo, os advogados afirmaram que Bolsonaro e Mourão não participaram e não tiveram
conhecimento prévio do episódio.
A defesa lembrou ainda que, nos dias 15 e 16 de setembro de 2018, data do fato, Bolsonaro estava internado após ter sido
submetido a cirurgia decorrente do atentado praticado por Adélio Bispo.
Com Agência Brasil

você pode gostar também