Ação tem o objetivo de evitar a fome, desemprego, economia devastada e o caos social – Foto: Montagem/Agência Tocantins

Na tarde desta quinta-feira, 26, os vereadores Gerson Alves (PSL) e Moisemar Marinho (PDT) emitiram um ofício para a prefeita de Palmas, Cinthia Ribeiro, solicitando uma flexibilização acerca do decreto municipal que estabelece o fechamento de grande parte do comércio de Palmas, como forma de prevenção ao novo Coronavírus.

Protocolado na prefeitura, o ofício busca evitar a fome, desemprego, economia devastada e o caos social que estará por vir dentro de pouco tempo caso os comércios locais permaneçam fechados por mais tempo.

De acordo com os vereadores, as ações que estão sendo tomadas pela prefeita são importantes, porém ambos concordam que outras medidas de combate podem ser adotadas, sem que os comércios locais permaneçam fechados e acabem resultando em um caos social e econômico.

No documento, Gerson Alves e Moisemar Marinho sugerem que uma parte do comércio seja reaberta novamente, desde que os empresários garantam que todas as medidas de segurança e contenção ao COVID-19 sejam adotadas, como imposição de limite quantitativo de pessoas no recinto, manter distância de pelo menos 2 metros de outras pessoas, cartazes de avisos, utilização de máscaras, luvas e outros itens de proteção.

Para Gerson Alves, que atua no papel de vereador e empresário em Palmas, os comerciantes pagarão um alto preço caso o decreto não seja suspenso. “O empresário não vai suportar a situação e o número de desempregados pode chegar até 30 mil, de acordo com a pesquisa da CDL. Temos em palmas centenas de supermercados e farmácias que estão abertos, e quem está pagando o preço são os pequenos comerciantes. Vamos preservar as vidas sim, porém há outras maneiras de eliminar o contágio do Coronavírus e continuar mantendo os empregos”, disse o vereador.

https://agenciatocantins.com.br/wp-content/uploads/2020/03/WhatsApp-Video-2020-03-26-at-19.42.32.mp4?_=1

Fonte: Agência Tocantins