Vice de Novo Acordo assinou nota promissória de R$ 6 milhões para que empresário preso assumisse morte de prefeito

Vice de Novo Acordo assinou nota promissória de R$ 6 milhões para que empresário preso assumisse morte de prefeito

O empresário Paulo Henrique Souza Costa, que, segundo a Polícia, teria contratado Gustavo Araújo da Silva para matar o prefeito de Novo Acordo, Elson Lino de Aguiar Filho, o Dotozim (MDB), afirmou à Polícia que teria uma nota promissória de R$ 6 milhões, assinado pelo vice-prefeito Leto Moura Leitão Filho, o Letim Leitão, para que assumisse a autoria do crime. A informação é do Jornal do Tocantins.

No depoimento, Souza Costa afirmou que o valor também serviria para que o empresário “segurasse” duas dívidas do vice-prefeito, no valor de R$ 40 mil, e serviria como garantia para que “assumisse a bronca”, caso “desse algum problema com o prefeito de Novo Acordo”.

O empresário ainda disse aos policiais que ouviu do vice-prefeito que as dívidas seriam pagas quando Letim assumisse a prefeitura, com a morte de Dotozim, que sobreviveu ao atentado.

Relação pelas dívidas
O vice-prefeito negou todas as acusações e, ainda segundo o Jornal do Tocantins, disse que seu relacionamento com Souza Costa seria apenas pelas dívidas com terceiros que eram cobradas pelo empresário.

Letim negou ter garantido a entrada do empresário “em um desvio de verba na prefeitura, se acaso Paulo assumisse o risco de ser preso em seu lugar”. Sobre a promissória de R$ 6 milhões, o vice afirmou ter entregado o documento em branco para o empresário por ter sido “constrangido” em razão da dívida.

você pode gostar também