Escola que custou mais de R$ 1,4 milhão está de portas fechadas e estrutura começa se deteriorar

Por TV Anhanguera

 

Obra de escola que custou meio milhão está de portas fechadas

Obra de escola que custou meio milhão está de portas fechadas

Uma escola construída na zona rural de Tocantínia, região central do estado, custou mais de R$ 1,4 mil aos cofres públicos e até agora não recebeu nenhum aluno. A obra da escola foi concluída em 2016 e está abandonada. “Entregaram a obra perfeitamente. Só no ponto de trazer o mobiliário e pôr para funcionar”, disse o funcionário público Edson Milhomem.

A estrutura está sofrendo as ações do tempo e da falta de manutenção. Rachaduras nas paredes são notadas e o mato começa a tomar conta junto com a sujeira. Além disso, janelas, lâmpadas e o telhado sofreram ação de vândalos. (Veja vídeo)

São seis salas de aula que não ainda não receberam nenhum aluno ou professor. Um relatório feito pelo Ministério Público mostra que a empresa que estava executando a obra abandonou os serviços alegando defasagem dos preços licitados. O documento mostra que 80% da obra está concluída.

Os pais lamentam e a comunidade acredita que o espaço poderia ser utilizado também para outras finalidades. “Essa estrutura enorme aqui da escola tem sala suficiente para atender tano o 1º, 2º e 3º ano, além do EJA [Educação Jovens e Adultos], que é destinado para quem está atrasado, os pais de família, jovens e adultos”, disse Edson Milhomem.

Escola foi concluída em 2016 e está abandonada — Foto: Reprodução/TV AnhangueraEscola foi concluída em 2016 e está abandonada — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Escola foi concluída em 2016 e está abandonada — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

O ginásio esportivo da escola ainda não foi concluído. O lavrador Adailton Torres mora nas proximidades do local e afirma que no assentamento não tem outro espaço de lazer. O lugar seria perfeito para atividades recreativas para os alunos e outros jovens da comunidade.

“Aqui a gente faz muitos eventos esportivos como campeonato e torneios, mas estamos sem campo. Já foi pedido para a prefeitura fazer um campo para nós, mas até hoje só vejo promessa de tudo. O único lugar que tem para fazer um esporte, lazer para as crianças e para nós é aqui nessa quadra inacabada”, afirmou.

Salas lotadas

Os moradores do assentamento não sabem ao certo o motivo do abandono, mas afirmam que a falta dessas vagas tem sobrecarregado a outra escola que fica no assentamento. Por conta da demanda algumas turmas estão funcionando na mesma sala.

Isso tem prejudicado o aprendizado da Luna. “Neste ano teve troca de cinco professores e ela não aprende nada. Tem vez que ela chega em casa e fala que a professora deu atenção só para a primeira [série]. Passa a aula toda brincando. Já era para ela estar aprendendo a formar palavras, mas ela não sabe”, disse a dona de casa Francineide Pereira.

A Mirela Ferreira faz o 5º ano, mas ultimamente esta estudando o mesmo conteúdo do 4º ano. “Com duas turmas juntas fica mais bagunça e mais dificuldade para a gente aprender o conteúdo”, disse a estudante.

A prefeitura da cidade foi procurada pela reportagem da TV Anhanguera, mas não apresentou resposta.

você pode gostar também