MAURO CARLESSE PERSEGUE DELEGADOS:Governo torna delegado função de confiança e remaneja titulares de delegacias estratégicas

Governo torna delegado função de confiança e
remaneja titulares de delegacias estratégicas
Estado trocou titulares e adjuntos de várias delegacias, em especial das divisões de Repressão ao
Crime Organizado (Deic) e de Repressão à Corrupção (Decor)
07/11/2019 – 10:25
Mal completou um ano da exoneração de todos os delegados regionais do Tocantins após o
escândalo do lixo que envolveu parte da base do governo Carlesse na Assembleia Legislativa, o
Executivo estadual pratica outra medida polêmica que afeta delegados combativos no Tocantins. A
nova mexida ocorre um dia da publicação da Medida Provisória º 18 de 5 de novembro, alterando a
organização da administração direta e indireta do Poder Executivo e passando a considerar o cargo
de delegado-chefe como função comissionada, o governo estadual trocou titulares e adjuntos de
várias delegacias, em especial das divisões de Repressão ao Crime Organizado (Deic) e de
Repressão à Corrupção (Decor).
As novas funções comissionadas e cargos dos delegados estão no Diário Oficial publicado na noite
da última quarta-feira, 6.
Conforme a Lei Nº 3.421, de 8 de março de 2019, os titulares das delegacias não tinham função
comissionada, ou seja, de confiança, no âmbito da Secretaria de Segurança Pública. Com a nova
edição publicada no Diário da última terça-feira, 5, todos os delegados e delegadas-chefes e
adjuntos das diretorias de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado (DRACCO) e suas
respectivas divisões, bem como as autoridades das delegacias de Polícia da Capital e do Interior.
Palácio Araguaia (Foto: Lia Mara)
07/11/2019 Governo torna delegado função de confiança e remaneja titulares de delegacias estratégicas

Também passam a ter cargo de confiança os chefes do Núcleo de Operações, de Inteligência Policial
e de Cartório.
Chama a atenção e mudança de todos os delegados, na sua maioria titulares, que atuavam na linha
de frente do combate a corrupção em delegacias estratégicas, conforme a Portaria SSP Nº 1.008, de
07 de outubro de 2019, como Guilherme Rocha que antes estava como titular da Decor de Palmas e
comandava a Operação Catarse, contra servidores fantasmas do governo. Ele assumirá agora a
chefia da 5ª Delegacia de Polícia de Palmas, em Taquaralto.
Já o adjunto da Decor de Palmas, Luciano Barbosa de Souza Cruz, foi remanejado para a 1ª Divisão
Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP de Palmas). O segundo adjunto da Decor
de Palmas, Bruno Souza Azevedo, também foi remanejado e atuará como delegado-chefe da
Divisão Especializada de Repressão a Crimes Cibernéticos (DRCC).
Wanderson Chaves de Queiroz que antes estava como diretor substituto da DRACCO e também
titular da Deic de Palmas passou a ser adjunto da 2ª Delegacia Especializada de Atendimento à
Mulher (DEAM) de Palmas, localizada em Taquaralto. O Adjunto da Deic de Palmas, Eduardo
César de Menezes continua no cargo.
Já Leandro Risi Santos, que estava como adjunto da Deic de Palmas passará a chefiar a 2ª Delegacia
Especializada de Repressão as Infrações de Menor Potencial Ofensivo (DEIMPO) de Palmas.
Gregory Almeida Alves do Monte que atuou na extinta Delegacia de Repressão a Crimes de Maior
Potencial contra a Administração Pública (Dracma) agora está como delegado-adjunto da 4ª
Delegacia de Polícia da Capital.
O então titular da Deic de Araguaína, José Ancheita de Menezes Filho, foi enviado para chefiar a 2ª
Divisão Especializada de Repressão a Narcóticos (Denarc) de Araguaína. Já o Bruno Boaventura
Mota, antes adjunto da Deic de Araguaína e que também trabalhava na Operação Catarse, passou a
ser delegado-chefe da 28ª Delegacia de Polícia. Por volta da meia-noite desta quinta-feira, 7, ele
publicou em uma rede social uma foto com o brasão da Deic ao lado da PC e a palavra luto.
Bruno Boaventura
@deltaboaventura
07/11/2019 Governo torna delegado função de confiança e remaneja titulares de delegacias estratégicas

Corrupção e Crime Organizado
Os delegados que passarão a trabalhar na repressão à corrupção em Palmas é o titular Raimundo
Claudio de Paula Batista, que antes atuava como substituto da 1ª Delegacia Especializada de
Atendimento à Vulneráveis de Palmas. O cargo de adjunto da Divisão fica agora com a delegada
Juliana Moura Amaral Quintanilha. Conforme a Portaria de indicações dos cargos de 7 de outubro,
ela atuava como substituta da Diretoria da Escola Superior de Polícia.
Já a Divisão de Repressão ao Crime Organizado de Palmas terá como chefe o delegado Emerson
Francisco de Moura, anteriormente titular da Denarc de Palmas.
Novo corregedor
A Corregedoria-Geral de Polícia que estava sem chefe desde 24 de setembro, quando o Márcio
Girotto Vilela teve sua exoneração publicada no DOE. Nesta quarta-feira, 6, o governo designou o
secretário-executivo da SSP-TO, Servilho Silva de Paiva, para acumular o cargo de CorregedorGeral.
Posicionamento
A Secretaria de Estado da Comunicação (Secom) enviou nota na manhã desta quinta-feira, 7, se
posicionando sobre as mudanças. Confira na íntegra abaixo.
14 00:50 – 7 de nov de 2019
Veja outros Tweets de Bruno Boaventura
07/11/2019 Governo torna delegado função de confiança e remaneja titulares de delegacias estratégicas
https://www.jornaldotocantins.com.br/editorias/politica/governo-torna-delegado-função-de-confiança-e-remaneja-titulares-de-delegacias-estratégicas-… 4/5
A Secretaria de Estado da Comunicação (Secom) esclarece que a distribuição do efetivo da Polícia
Civil tem como parâmetro critérios objetivos estabelecidos no seu Regimento Interno. Critérios
esses elencados a partir de estudos que levaram em consideração a quantidade de ocorrências em
cada unidade da Secretaria de Segurança Pública, o tamanho da população atendida e a extensão
territorial da sua área de atuação.
Posto isso, a Secom reitera que a indicação de pessoas para ocupar cargos ou função de confiança
é uma prerrogativa da administração pública e é praticada em todas as esferas de gestão – União,
Estados e Municípios.
Assim, eventual substituição de pessoas em determinados cargos ou funções públicas não traz
qualquer prejuízo para o desenvolvimento dos trabalhos, tendo em vista que a administração
pública deve se pautar pelo princípio constitucional da impessoalidade.
A Secretaria de Estado da Comunicação informa que, no caso da Divisão Especializada de
Combate à Corrupção (DRACCO), foram indicados como delegado-chefe e delegado-adjunto
profissionais antigos, experientes e respeitados e contra os quais não pesa qualquer suspeita.
Ressalta que, em acréscimo, houve também a indicação de um terceiro delegado para apoiar nos
trabalhos ali desenvolvidos. Cumpre registrar, ainda, que nenhuma investigação policial é feita
exclusivamente por um delegado.
A Secom reforça que, em regra, as investigações policiais são feitas por equipes da Polícia Civil e
são sempre acompanhadas pelo Ministério Público e submetidas à apreciação do Poder Judiciário.
Ressalta também que qualquer relação sobre eventual descontinuidade dos trabalhos em
andamento não encontra qualquer fundamento, uma vez que, sempre que finalizados, os
procedimentos formais estarão sendo sempre submetidos ao controle externo e acompanhamento do
Ministério Público e submetidos ao Poder Judiciário.
Finalmente, a Secretaria de Estado da Comunicação ressalta que a atual gestão está preocupada
em fortalecer institucionalmente os mecanismos de controle e de combate à corrupção. Tanto é
assim, que recentemente criou uma diretoria especializada em combate à corrupção e ao crime
organizado e uma divisão especializada de combate à corrupção. Igualmente foram criadas
chefias nas respectivas unidades, inclusive para cartório, operações e inteligência em todas as
delegacias. Tudo para estruturar e valorizar o trabalho desenvolvido em todas as unidades.
(Colaborou Lailton Costa)
07/11/2019 Governo torna delegado função de confiança e remaneja titulares de delegacias estratégicas
https://www.jornaldotocantins.com.br/editorias/politica/governo-torna-delegado-função-de-confiança-e-remaneja-titulares-de-delegacias-estratégicas-… 5/5
No Diário Oficial da última terça-feira, 5, governo
publicou MP transformando os cargos de delegado em
funções comissionadas (Foto: Reprodução)

você pode gostar também