Exoneração: delegados apontam perseguição política e retorno a tempos sombrios no Tocantins

Exoneração: delegados apontam perseguição política e retorno a tempos sombrios no Tocantins

Share on Facebook
Tweet on Twitter

 

Foto: Divulgação

Maria José Cotrim

Vários delegados encaminharam nota de repúdio após a exoneração do delegado Bruno Boaventura.

Os assunto repercute neste sábado negativamente para o governo. Na nota, os delegados alegam perseguição política e apontam retorno de tempos sombrios no Tocantins.

O delegado Bruno Boaventura foi exonerado após as investigações envolvendo o pai do deputado Olintho Neto no escândalo do lixo hospitalar.

Veja a íntegra da nota:

NOTA DE REPÚDIO

Os Delegados de Polícia da 1ª Delegacia-Regional de Polícia vêm, através desta nota, REPUDIAR o ato do Governo do Estado do Tocantins de exonerar o Dr. Bruno Boaventura Mota do cargo de Delegado-Regional de Araguaína.

Apesar da ausência de fundamentação do ato de exoneração, camuflado numa dispensa coletiva e sorrateira que deixou todas as regionais de polícia sem responsáveis, resta clara a perseguição política empregada por este governo na tentativa de politização da Polícia Civil.

O fato de a exoneração do Chefe da Regional de Araguaína ter ocorrido logo após as recentes investigações envolvendo a família do deputado estadual Olyntho Neto (PSDB), líder do Governo na Assembleia Legislativa, relacionada ao armazenamento irregular de lixo hospitalar num galpão na cidade de Araguaína, demonstra a inequívoca ingerência política nas ações da Polícia Civil. Aliás, não custa lembrar recente evento ocorrido na última campanha eleitoral, quando a Polícia Civil realizou operação que resultou na apreensão de meio milhão de reais de origem suspeita em poder do irmão deputado estadual Olyntho Neto.

A exoneração do Dr. Bruno representa o retorno a tempos sombrios da história do Tocantins, quando “coronéis” mandavam e desmandavam através de ações políticas arbitrárias, sendo que admitir tais práticas seria ir à contramão do país, que vive um momento ímpar em sua história, vide o intenso combate à corrupção, com operações importantes como a Lava-Jato e outras.

Não podemos admitir isso! O Tocantins é nossa terra e a Polícia Civil continuará atuando incessantemente no combate à corrupção e a todas as formas de criminalidade.

Em apoio ao excelente trabalho de Dr. Bruno Boaventura, os delegados abaixo fazem o público compromisso de NÃO assumirem o cargo delegado-regional arbitrariamente retirado do honroso colega.

Araguaína, 17 de novembro de 2018.

Adriano de Aguiar Carvalho
Alexander Pereira da Costa
Amaury S. Marinho Júnior
Ana Maria Barros Varjal
Breno Eduardo Campos Alves
Charles Marcelo de Arruda
Cithia Miura Nakayama
Fellipe C. Ayres Pereira
Fernando Rizério Jayme
Guilherme Coutinho Torres
Gustavo Toledo Vaz de Mello
José Anchieta de M. Filho
José Rérisson Macedo Gomes
Luís Eduardo Amaral Freitas
Luís Gonzaga da Silva Neto
Maria Dinesitânia Rocha Cunha
Pedro Nunes Vieira Júnior
Romeu F. de Carvalho Filho
Sarah Lilian de Souza Rezende
Thiago Xavier de Faria Alves
Tobias Luiz Nunes de Souza

você pode gostar também