POLICIA CIVIL NO GABINETE DE TONINHO ANDRADE O HOMEM DO CARLESSE

Por G1 Tocantins

 

Mandados de intimação, busca e apreensão estão sendo cumpridos na manhã desta quinta-feira (31) pela Policia Civil em uma operação que investiga supostos funcionários fantasmas na Assembleia Legislativa do Tocantins. A estimativa é de que o esquema causou mais de R$ 1,5 milhão em danos. Há evidências de que pelo menos 11 servidores recebiam sem trabalhar.

Estes funcionários estariam ligados aos gabinetes dos deputados Toinho Andrade (PHS) e Amélio Cayres (SD). Um dos investigados era servidor fantasma ligado a presidência da casa de leis no período em que Osires Damaso (PSC) foi presidente.

Ainda conforme a polícia, os deputados não são investigados neste momento.

Os mandados são cumpridos por agentes da Delegacia de Repressão a Crimes de Maior Potencial contra a Administração Pública (Dracma) em Palmas e Porto Nacional, onde se concentra a maioria dos suspeitos.

G1 ainda tenta contato com os gabinetes dos deputados.

A investigação

A Operação Catarse é uma força-tarefa de várias delegacias do estado para investigar danos ao erário público. As investigações começaram após denúncias de funcionários fantasmas do governo do Estado em Araguaína, norte do Tocantins.

Depois, mandados foram cumpridos na Secretaria-geral de Governo, no Palácio Araguaia, onde os agentes encontraram indícios de que 300 funcionários estariam recebendo sem trabalhar.

você pode gostar também