Contra Maduro, Brasil volta a abandonar reunião da ONU

Contra Maduro, Brasil volta a abandonar reunião da ONU

Português   English   Español
Contra Maduro, Brasil volta a abandonar reunião da ONU
TARCISO MORAIS

TARCISO MORAIS

Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

Ato de protesto voltou a ocorrer durante reunião do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, num sinal de que o governo Bolsonaro e outros países da região não reconhecem a ditadura Maduro.

Pela segunda vez em quinze dias, o governo de Jair Bolsonaro decidiu abandonar uma reunião da ONU por conta da presença de uma delegação da ditadura de Nicolás Maduro.

Na manhã desta quinta-feira (7), Brasil e outros países da América Latina se levantaram e deixaram a sala do Conselho de Direitos Humanos da ONU durante reunião em Genebra, na Suíça.

A retirada ocorreu quando diplomatas da Venezuela tomaram a palavra para falar e propor uma resolução sobre o impacto nocivo de sanções econômicas impostas contra o regime, registra o UOL.

Além do Brasil, outros dezenas de nações não reconhecem Maduro como representante legítimo da Venezuela.

Na semana passada, como você viu na RENOVA, algo semelhante acontece no momento em que o chanceler venezuelano, Jorge Arreaza, subiu no palco do Conselho de Direitos Humanos.

RENOVA@RenovaMidia

Em um ato de protesto, , Israel, Austrália e alguns países do continente europeu abandonaram a sala de conferências da ONU durante discurso do chanceler da .https://renovamidia.com.br/brasil-abandona-reuniao-da-onu-em-protesto-contra-maduro/ 

Brasil abandona reunião da ONU em protesto contra Maduro – RENOVA Mídia

A delegação do Brasil abandonou a reunião das Nações Unidas no momento em que o chanceler da Venezuela discursava.

renovamidia.com.br

RENOVA@RenovaMidia

O boicote à ocorreu quando o chanceler chavista, Jorge Arreaza, subiu ao púlpito da ONU, em , na .

No total, mais de 60 diplomatas de vários países deixaram a sala. pic.twitter.com/UgYNOmELO5

Vídeo incorporado

1.203 pessoas estão falando sobre isso
você pode gostar também